A Pirâmide do Processo Evolutivo tem origem nos Níveis Neurológicos de Aprendizagem e Mudanças. Ela nos ensina que a partir desses sete níveis podemos ter suporte para o desenvolvimento do indivíduo em nível global, partindo desde seu ambiente externo (mais superficial) até sua consciência universal (complexo e profundo).

Tanto o Coaching quanto qualquer processo para desenvolvimento humano pode, e se beneficia muito do Processo Evolutivo dos Níveis Neurológicos. A partir dele podemos enquadrar as demandas do indivíduo em determinado nível e desenvolvê-las.

Como podemos perceber, a elevação nos Níveis Neurológicos é a exata escalada evolutiva humana, que parte de reações mais superficiais, passando por etapas mais interiorizadas a nível individual, chegando até aos níveis sistêmicos.


Coaching e os Níveis Neurológicos

O Coaching, e qualquer outra abordagem de desenvolvimento humano, como a própria educação escolar, pode se beneficiar muito dos Níveis Neurológicos como ferramenta e lente para enxergar a escalada evolutiva do aprendizado humano. Com relação ao processo de Coaching, este pode ser Remediativo, Generativo ou Coaching Evolutivo, dependendo do nível em que o coach atuará no processo do cliente.
Um dos grandes aprendizados dos Níveis Neurológicos é que quando as mudanças ocorrem nos três primeiros níveis (Ambiente, Comportamento e Habilidades/ Capacidades) estas não têm efeito substancial nos níveis superiores. Uma mudança em nível de ambiente, por exemplo, oferece uma solução Remediativa, no entanto, não provoca mudança interior no indivíduo, ou seja, não o prepara para as novas situações que o seu ciclo de existência certamente voltará a vivenciar.

Por outro lado, mudanças em níveis mais altos, como o da Identidade e Espiritualidade podem trazer transformações em todos os outros níveis, porque o indivíduo com uma nova visão de si mesmo e do universo ressignifica ambientes, muda comportamentos e naturalmente está mais propenso e determinado a desenvolver novas habilidades e estratégias.

No Coaching Remediativo temos o Primeiro e o Segundo nível: Ambiente e Comportamento. No nível Ambiente identifica-se em qual contexto estamos inseridos e informações iniciais. O papel do Coach aqui é atuar como Guia. No nível Comportamento identifica-se quais nossas ações e reações diante do contexto inicial e das primeiras informações extraídas e como agimos em contextos específicos. Aqui o Coach vai atuar como um Treinador.

No Coaching Generativo temos o Terceiro e o Quarto Nível. O terceiro nível diz respeito às Capacidades e Habilidades, nosso conhecimento e posicionamento a respeito de cada situação, habilidades fisiológicas, emocionais e transcendentais. O papel do Coach nesse sentido é atuar como Consultor ou Professor. O quarto nível são as Crenças e Valores, ou seja, o que é importante para nós, a verdade que existe em cada um de nós, qual a nossa formação. Neste caso, o Coach atua como um Mentor.

O Coaching Evolutivo diz respeito ao Quinto Nível, da Identidade, ou seja, que tipo de pessoas somos e qual o motivo de sermos assim, qual nossa missão de vida. Neste nível o Coach atua como Patrocinador e Apoiador. O Sexto Nível, da Afiliação, ou seja, quais grupos eu pertenço, de que forma e com quem compartilho meus sucessos, intimidades, pontos de melhorias e sonhos. O papel do Coach aqui é atuar como Aglutinador. E por fim, o Sétimo Nível, do Legado, tudo que nós somos, nosso eu maior, integração entre corpo, mente, alma e espírito. O Coach é Self Empowerment.