O que provoca a depressão?

Ao contrário do que normalmente se pensa, os fatores psicológicos e sociais, muitas vezes, são consequência e não causa da depressão. Vale ressaltar que o estresse pode precipitar a depressão em pessoas com predisposição, que provavelmente é genética. A prevalência (número de casos numa população) da depressão é estimada em 19%, o que significa que aproximadamente uma em cada cinco pessoas no mundo apresenta o problema em algum momento da vida.

Veja a seguir, alguns fatores que podem aumentar as chances de desenvolver a depressão:

  • Abuso: Sofrer abuso físico, sexual ou emocional pode aumentar a vulnerabilidade psicológica, agravando as chances de desenvolver a depressão
  • Medicações específicas: Alguns elementos químicos, como a Isotretinoína (usada para tratar a acne), o antiviral interferon alfa, e o uso de corticóides,podem aumentar o risco de desenvolver depressão
  • Conflitos: A depressão em alguém que já tem predisposição genética para a doença, pode ser resultado de conflitos pessoais ou disputas com membros da família e amigos
  • Morte ou perda: A tristeza ou luto proveniente da morte ou perda de uma pessoa amada, por mais que natural, pode aumentar os riscos de desenvolver depressão
  • Genética: Um histórico familiar de depressão pode aumentar as chances de desenvolver a doença. É de conhecimento científico que a depressão é complexa, o que significa que podem haver diversos genes que exercem pequenos efeitos para o surgimento da doença, ao invés de um único gene que contribui para o quadro clínico
  • Eventos grandiosos: Eventos negativos como ficar desempregado, divorciar-se ou se aposentar podem ser prejudiciais. Porém, até mesmo eventos positivos como começar um novo emprego, formar-se ou se casar podem ocasionar a depressão. Entretanto, é importante reiterar que a depressão não é apenas uma simples resposta frente à momentos estressantes do cotidiano
  • Outros problemas pessoais: Problemas como o isolamento, causado por doenças mentais, ou por ser expulso da família e de grupos sociais, também podem contribuir para o surgimento da depressão
  • Doenças graves: Às vezes, a depressão pode coexistir com uma grande doença, como por exemplo, o câncer. Ou então, pode ser estimulada pelo surgimento de um problema de saúde
  • Abuso de substâncias: Aproximadamente 30% das pessoas com vícios em substâncias apresentam depressão clínica ou profunda.

 

Sintomas de Depressão

São sintomas de depressão:

  • Humor depressivo ou irritabilidade, ansiedade e angústia
  • Desânimo, cansaço fácil, necessidade de maior esforço para fazer as coisas
  • Diminuição ou incapacidade de sentir alegria e prazer em atividades anteriormente consideradas agradáveis
  • Desinteresse, falta de motivação e apatia
  • Falta de vontade e indecisão
  • Sentimentos de medo, insegurança, desesperança, desespero, desamparo e vazio
  • Pessimismo, ideias frequentes e desproporcionais de culpa, baixa autoestima, sensação de falta de sentido na vida, inutilidade, ruína, fracasso, doença ou morte.

 

VOCÊ já PASSOU ou PASSA por alguma destas SITUAÇÕES?

Constante tensão ou nervosismo, sensação de que algo ruim vai acontecer? Problemas de concentração, medo constante? Descontrole sobre os pensamentos, principalmente dificuldade em esquecer o objeto de tensão?

Preocupação exagerada em comparação com a realidade, problemas para dormir e irritabilidade? Dor ou aperto no peito, aumento das batidas do coração, respiração ofegante ou falta de ar?

Sensação de fraqueza ou cansaço, tensão muscular, Sensação de nervosismo, pânico, sensação de morte? Aumento da respiração, aumento da frequência cardíaca?

 

Atenção: Se você respondeu sim para UMA ou MAIS perguntas, saiba que a DEPRESSÃO está ROUBANDO a sua VIDA.

Com este MÉTODO PASSO-A-PASSO, VOCÊ vai Aprender a CONTROLAR AGORA as crises de DEPRESSÃO, ANSIEDADE e se livrar de uma vez por todas desta ANGÚSTIA.

Acesse agora e saiba mais

 

 

Curso de Marketing Digital Ribeirão Preto

Desenvolvi uma metodologia no marketing digital que ajuda qualquer pessoa a pensar digital, em outras palavras, entender como funciona os bastidores do marketing digital é fundamental para ter sucesso e alcançar os objetivos na internet.

Meu nome é Cleber Barbosa, trabalho com marketing digital em Ribeirão Preto há mais de 17 anos, para ser mais preciso comecei a minha jornada em 1994 quando tive meus primeiros contatos com a tecnologia. Mesmo naquele época onde termos que hoje são comumente utilizados eram um bicho de sete cabeças, eu me desbravava a pensar como seria o mundo intangível dos computadores nos anos seguintes.

Desde os primeiros buscadores e sites, eu comecei a entender que havia um novo mundo surgindo, na época me lembro que usávamos o termo computatorizado ou computatocional para falar desse futuro.

A verdade que é os anos foram passando e que o mundo nosso que outrora achávamos que estávamos surgindo, havia se tornado realidade e que a cada dia que se passava uma novidade tecnológica estava sendo criada e anunciada.

Em meio a esse universo digital e principalmente com o advento da internet o mundo acelerou a distribuição de conhecimento como também a forma de fazer negócios e relações sociais.

Me lembro do primeiro 6 em 7 que fiz ainda em 2006 usando a internet vendendo apostilas para concursos (6 em 7 é um termo que é utilizado hoje no marketing digital que se refere a fazer um faturamento de 6 digitos em 7 dias)

A verdade é que o mundo mudou e entender como essa mudança pode afetar nossa vida, relações sociais e negócios é muito importante para traçar planos para o futuro.

Em meio a tudo isso desenvolvi um método que logo se transformou em um curso no qual eu ensino a como pensar digital. Na realidade o meu método ensina o aluno a como pensar, raciocinar e planejar digitalmente, entendendo as nuances e como funciona toda essa engrenagem digital nos bastidores.

Existem vários cursos de marketing digital atualmente que fornecem conteúdo para usar as ferramentas para ter sucesso online e alguns vão além disso, prometem a solução x para vender mais ou ganhar muito dinheiro do dia para a noite.

Interessante é que esses cursos não dizem que é possível ganhar dinheiro da noite para o dia, mas é incrível como as pessoas saem desses cursos como esse sentimento dispostas a gastar o que for preciso para fazer acontecer em suas vidas.

Como consequência disso seguem os altos investimentos em cursos, em anúncios mal planejados, em ferramentas e consequentemente a frustração de ver que investiu dinheiro em vão. Na realidade entenda que as pessoas não aprendem nesses cursos de marketing digital a como construir e principalmente como planejar a estrutura de marketing digital ideal para o seu modelo de negócio (é meu amigo, cada modelo de negócio tem uma estrutura diferente e um processo personalizado para trazer os resultados que são esperados)

No meu curso você vai aprender uma forma diferente de ver o mundo digital e entender que o mundo digital não é somente feito de Instagram, Google, Email Marketing e Facebook. Existe muito mais do que isso, como por exemplo: relacionamento, engajamento, inteligência artificial, atendimento, conexão, trafégo, continuidade,  necessidade, custo de oportunidade, tendências e muitos outros pontos importantes que vão ajudar você a ter o resultado que deseja através da internet.

Quem sou eu

Meu nome é Cleber Barbosa, sou uma pessoa convicta em ajudar as outras pessoas. Eu acredito que a partir do momento que olhamos para o nosso interior e identificamos o que é preciso ajustar, tudo se torna mais fácil no mundo exterior.

Trabalho com marketing digital a mais de 17 anos e tenho mais de 200 clientes no meu portifólio.  Atualmente sou consultor de marketing digital da University of Arizona and Thunderbird School of Global Management responsável pelo marketing digital da universidade no Brasil.

Curso de Marketing Digital Ribeirão Preto

Para saber quando estarei na sua cidade acesse a minha agenda e faça a sua pré-inscrição.

Cansou de trabalhar para os outros? Tem uma ideia inovadora e não sabe como tirá-la do papel? Dê um passo de cada vez. E não tenha medo de pedir ajuda. Afinal, você não está sozinha.

Uma pesquisa de 2015 da Serasa Experian aponta que as mulheres correspondem a 43% dos donos de negócios e são sócias de 30% das empresas ativas no país. Outro estudo, da proScore, mostra que, desde 2010, o número de empresas abertas por mulheres aumentou, em média, 10% ao ano. Para ajudar a quem quer fazer parte dessa estatística, conversamos com três empreendedoras que deixaram sua carteira assinada de lado para realizar um projeto profissional – e de vida. Elas contam suas histórias e dão dicas de como se tornar sua própria chefe.

Dois pontos fundamentais

A administradora com pós-graduação em Empreendedorismo e Liderança Feminina Iva Cardinal, 41 anos, não lançou apenas um negócio – mas dois.

– Empreender é colocar em prática as minhas ideias e ter mais liberdade para desenvolvê-las – afirma ela.

 

Após anos como funcionária e gerente de grandes empresas, Iva decidiu empreender em busca de mais autonomia. Como sua própria chefe, poderia administrar seu tempo, trabalhar apenas com o que gostava e colocar seus projetos em primeiro lugar. Em 2004, ela abriu a IC Brasil para prestar consultoria e treinamento empresarial a clientes que havia atendido em seus antigos empregos. Em paralelo, investiu em outras paixões. Assim surgiu, em 2009, a Confraria do Batom: o projeto começou como uma reunião de amigas para organizar uma palestra que interessava a todas e hoje conta com 10 formatos de evento para debater independência financeira, educação, beleza, sedução e bem-estar.

 

Para Iva, dois pontos são fundamentais para investir nas próprias ideias e tocar um negócio próprio: o apoio da família e um planejamento detalhado.

– Quando comecei a minha empresa, me preparei para ter uma renda fixa, planejada – conta.

O planejamento, destaca Iva, é decisivo: pensar exatamente, e por bastante tempo, no que vai fazer, como vai fazer e quanto dinheiro precisa ser aplicado.

Quando a maternidade inspira o negócio

 

A engenheira de produção Susana Zaman, 32 anos, estava no final da licença-maternidade quando decidiu que queria se reinventar profissionalmente para passar mais tempo com a filha. Inspirada em seu próprio momento de vida, lançou um clube de assinaturas, modelo de negócios que já conhecia: o Nutrimãe envia produtos e conteúdos para gestantes e lactantes todos os meses, selecionados por Susana e duas nutricionistas.

 

– Hoje, fico 24 horas com clientes, mas no espaço digital. Com isso, sou dona do meu tempo – conta. – É gratificante poder, no meio da tarde, ir pra uma praça com a minha filha ou levá-la na natação: poder definir que aquele momento é meu e fazer uma atividade para mim ou para ela.

Ainda que amigos empreendedores repitam a Susana que seu o negócio está evoluindo rapidamente, ela diz conviver com uma ansiedade constante: o investimento está dando o retorno que deveria? Mas não tem dúvidas de sua escolha.

– Acho que, quando a gente empreende, está provando todos os dias que é capaz – avalia. – Minha família super apoiou, porque aqui em casa há o entendimento de que a educação dos filhos é fundamental. Acho que todo mundo via que ia dar certo, que eu tinha como avançar.

Virada aos 40

Em outubro de 2015, Claudia Barbosa, 44 anos, quase desistiu do negócio que havia iniciado três anos antes. Os motivos? Crise, desafios do mercado, cansaço e uma certa decepção por tudo não estar sendo exatamente como ela imaginava.

Mas Claudia persistiu e hoje não se arrepende. À frente da Nomedeiro, Boutique de Personalização, que cria marcas pessoais e corporativas, ela aprendeu que, como sua própria chefe, ainda vai errar muito e precisar pedir ajuda, que não vai conseguir avançar sempre e que as responsabilidades vão ser muito maiores do que qualquer cargo de gestão em uma empresa.

 

– A gente acha que vai ter liberdade para fazer o que quiser e receber mais, mas as obrigações com as outras pessoas são muito maiores – afirma Claudia.

Formada em Administração de Empresas, com pós-graduação em Comércio Internacional, ela teve bastante experiência com o mercado corporativo, principalmente na área de tecnologia. Quando chegou aos 40 anos, resolveu mudar tudo.

– É muito bom ver que está dando certo, que a gente criou um nicho de mercado que não existia. É ótimo conhecer gente nova, aprender a cooperar, ser criativo e ver que tu podes crescer com a tua empresa e as outras pessoas. Vejo que o mercado valoriza isso – garante. – É uma caminhada superlonga entre erros e acertos. Tem que pôr tudo na balança e, se no fim o resultado foi positivo, vale a pena.

Espia só 10 dicas para mulheres começaram seu próprio negócio:

  1. Faça o que goste

Para Iva Cardinal, se é para investir em um negócio, tem que buscar algo de que realmente goste. Ou vai se tornar um trabalho como qualquer outro, inclusive aquele que você se tinha anteriormente.

– Uma coisa é empreender para lucrar e outra é buscar algo de que realmente gosta, para o qual tenha se preparado – afirma. – Aí, sim, tem boas chances de sucesso.

2. Importante: analise o mercado 

Pesquise se tem mercado para sua ideia, focando no público-alvo. Assim, ensina Susana Zaman, você terá mais segurança para empreender. Antes de lançar seu clube de assinaturas para gestantes, ela fez duas pesquisas – a primeira, com nutricionistas, para entender melhor o funcionamento da nutrição infantil e buscar parcerias e apoio. Depois, contatou futuras mamães, suas possíveis consumidoras; pelo Facebook, elas responderam a perguntas sobre seus interesses em um formulário online que serviu de guia para o produto a ser lançado.

– Tive um bom nível de participantes que ajudaram a resolver algumas dúvidas – garante Susana.

3. Saiba por que você quer empreender 

Saber a razão pela qual você quer começar um negócio é fundamental, destaca Iva. Não importa qual o motivo – colocar uma ideia em prática, ganhar dinheiro, inovar –, tê-lo em mente vai ajudar na hora de construir a empresa e pensar o conceito.

4. Pense em um conceito

O que será sua empresa? O que busca? Como você a enxerga e como quer que os outros a vejam? São perguntas extremamente importantes para, mais tarde, vender seu produto ou ideia. Com essas respostas em mente, vai ser mais fácil entender quem serão seus consumidores e investidores (onde encontrá-los) e desenvolver um plano para o futuro.

5. Aposte no planejamento 

Ter um planejamento detalhado é fundamental para estabelecer uma estratégia de negócios, definir as etapas a cumprir, bem como tomar decisões diante de novas possibilidades e escolher o caminho a tomar em caso de alguma dificuldade. Se necessário, liste os prós e contras de cada investimento. Segundo Claudia Barbosa, é apenas com um plano de negócios em mãos que o empresário realmente começa a perceber a viabilidade do projeto, quem são seus concorrentes e que metas deve perseguir. Para isso, ela indica buscar empresas que disponibilizam serviço de consultoria, como o Sebrae:

– Não tem como montar uma empresa do nada, e é melhor ficar no planejamento por mais tempo, quando ainda dá para mudar de ideia sem perder dinheiro.

Claudia destaca ainda que você deve se policiar para não deixar de lado tarefas chatas, mas determinantes para o bom andamento dos negócios, como manter a papelada em ordem:

– O trabalho burocrático vai ser essencial no futuro, quando, por exemplo, você precisar de um empréstimo para vender ou fornecer material.

6. Avalie quanto pode investir

No plano de negócios, um ponto importante é a questão financeira. Primeiro, avalie: quanto você pode investir? Há uma reserva monetária para ajudar a sustentar sua família, enquanto o negócio não gerar lucro? As três empreendedoras consultadas contam que estavam em uma situação financeira confortável quando investiram no próprio negócio, o que lhes permitiu ficar um tempo se ter uma renda. Sem esta possibilidade, muitas empresas fecham as portas no primeiro ano porque não equilibraram despesas e gastos.

– Imaginar que vai ficar um ano sem tirar dinheiro da empresa. Tu consegues viver por esse tempo sem receber nada? – pergunta Claudia.

7. Foco no networking

Converse com o maior número de pessoas possível, esteja disposto a ouvir opiniões diferentes, não tenha vergonha de pedir ajuda e ofereça parcerias. Como diz a Susana: invista na rede de contatos, porque ninguém cresce sozinha.

– Uma dica é procurar amigos que têm um ramo de trabalho similar ao que tu necessitas – afirma.

Ela recomenda que as mulheres aproveitem a facilidade que muitas têm para oferecer e aceitar ajuda e invistam em networking.

8. Administre o tempo 

Ter uma agenda atualizada permite não apenas organizar compromissos, mas também saber quando parar. Gerenciar o tempo é determinante para conseguir focar no que é prioritário, seja uma reunião de trabalho ou um momento para levar os filhos para passear – afinal, uma das razões para abrir or próprio negócio é ter mais controle dos próprios horários, não é? Para as mulheres, entretanto, esse desafio costuma ser maior.

– A gente tem muitas tarefas porque continuamos com as atividades do lar além de todo o resto – comenta Iva, que organiza a rotina do dia, da semana e do mês para conseguir se dedicar 100% a cada uma de suas tarefas. – Tenho tempo para cada trabalho e para a família. Tendo foco, tu consegues fazer tudo com mais tranquilidade e qualidade.

9. Aprenda a errar

Errar serve de teste quando a empresa ainda dá seus primeiros passos.

– É importante lembrar os pequenos empresários que uma parte positiva do negócio é que o erro ainda não custa tão caro – comenta Susana. – Quanto você erra e replaneja rapidamente para acertar, não há tanto prejuízo.

10. Tire a ideia do papel 

Se você está decidida, não deixe seu grande projeto na gaveta. Busque informações e parcerias, identifique oportunidades e realmente faça acontecer.

20 franquias para abrir sua própria empresa e trabalhar de casa | Para muitos, empreender é uma forma de ter mais flexibilidade nos horários, ainda que um negócio exija ainda mais dedicação do que um emprego comum. Para montar sua própria jornada de trabalho, negócios que possam ser administrados da própria residência são uma boa pedida. E, para quem não tem experiência, adquirir uma franquia é a forma de trocar capital investido por conhecimento do setor e de seus empreendimentos.

Por isso, abaixo veja algumas franqueadoras que permitem o trabalho home office. O investimento inicial em negócios do tipo costuma ser reduzido, pela desobrigatoriedade de adquirir um ponto comercial. Abaixo, há apenas negócios que pedem até 30 mil reais em capital inicial. As informações foram fornecidas pelas próprias marcas.

Vale lembrar que, antes de entrar de cabeça em um negócio franqueado, é preciso pesquisar sobre os setores pretendidos, analisar bem o contrato de franquia e perguntar para outros franqueados sobre a experiência com a franqueadora.

20 franquias para abrir

 

Confira, a seguir, 20 franquias para abrir sua própria empresa e trabalhar de casa:

 

1 Trust Intercâmbio e Turismo: 3,5 mil reais - 20 franquias para abrir

A Trust Intercâmbio Cultural e Turismo iniciou suas atividades em 2009. Atualmente, conta com 24 unidades em funcionamento. Para o modelo Micro, o faturamento médio mensal é de 25 mil reais.

 

Investimento inicial: 3,5 mil reais
Prazo de retorno: 12 a 48 meses

 

2 Ahoba Viagens: 4 mil reais - 20 franquias para abrir

A Ahoba Viagens, rede de franquias de turismo online, foi fundada em 2014 e passou a franquear no ano seguinte. Hoje, possui 200 unidades em operação e espera crescer 25% em 2019. No modelo home office, o faturamento médio mensal é de 30 mil reais e o lucro médio mensal é de 2 mil reais.

 

Investimento inicial: 4 mil reais
Prazo de retorno: 3 a 12 meses

 

3 Chocolateria Brasileira: 5 mil reais - 20 franquias para abrir

A Chocolateria Brasileira foi fundada em 2015 e entrou para o franchising dois anos depois. Hoje, possui mais de 30 franquias em operação. Em seu modelo home office, chamado Chocobag, o faturamento médio mensal é de 5 mil reais, com taxa de lucratividade média de 50%.

 

Investimento inicial: 5 mil reais
Prazo de retorno: 3 meses

 

4 Impacto Mídia: 6,5 mil reais -  20 franquias para abrir

 

O Grupo Impacto Mídias Alternativas é uma rede de microfranquias especializada em publicidade em locais como sacos de pão, jogos americanos envelopes térmicos para pizza. O negócio foi fundado em 2011 e entrou para o franchising dois anos depois. Hoje, possui 120 franquias em operação e espera abrir mais 25 unidades neste ano. O faturamento médio mensal de uma franquia é de 12 mil reais, com lucro médio de 7 mil reais.

Investimento inicial: 6,5 mil reais
Prazo de retorno: 2 a 3 meses

5 Acqio: 7,9 mil reais - 20 franquias para abrir

A Acqio, fundada em 2014, é uma rede de franquias de maquininhas de pagamento. O negócio possui 1.158 unidades em operação e espera crescer 66% neste ano. Uma unidade home office da Acqio fatura mensalmente 3,5 mil reais, com lucro médio mensal de 3 mil reais.

Investimento inicial: 7,9 mil reais
Prazo de retorno: 6 a 12 meses

6 Mister Fix: 9 mil reais - 20 franquias para abrir

A Mister Fix é uma rede de franquias especializada em marido de aluguel, pequenos reparos e manutenções residencial e predial. Fundada em 2016 e franqueando desde 2017, a marca possui 19 unidades franqueadas. A expectativa é de inaugurar mais 48 unidades até o fim de 2019. O faturamento médio mensal de uma unidade é de 13 mil reais, com taxa de lucratividade média de 50 a 60%.

Investimento inicial: 9 mil reais
Prazo de retorno: 3 a 5 meses

7 Acquazero: 10 mil reais - 20 franquias para abrir

A Acquazero, rede especializada em lavagem ecológica automotiva, foi fundada em 2009 e entrou para o franchising no ano seguinte. Atualmente possui 240 unidades em operação. Uma franquia home office possui faturamento médio mensal de 12 mil reais, com lucro médio mensal de 50% sobre o valor faturado.

Investimento inicial: 10 mil reais
Prazo de retorno: 3 a 6 meses

8 PremiaPão: 10 mil reais -20 franquias para abrir

A rede de publicidade em sacos de pão PremiaPão foi fundada em 2015. O negócio possui 206 unidades em operação e espera abrir mais 240 unidades neste ano. O faturamento médio por franquia é de 12,9 mil reais mensais, com lucratividade média de 5 a 7 mil reais.

Investimento inicial: 10 mil reais (cidades com até 100 mil habitantes)
Prazo de retorno: 1 a 4 meses

9 Gigatron: 10,5 mil reais - 20 franquias para abrir

A Gigatron Franchising, rede desenvolvedora de software para empresas do varejo, foi fundada em 1998 e em 2012 entrou para o mercado de franchising. Possui hoje 72 unidades em operação e espera fechar 2019 com 100 franquias ativas. O faturamento médio mensal é de 5 mil reais, com lucro médio líquido mensal de 3,5 mil reais.

Investimento inicial: 10,5 mil reais
Prazo de retorno: 1 a 12 meses

10 Encontre Sua Viagem: 12 mil reais

A Encontre Sua Viagem, rede com foco em serviços de turismo, foi fundada em 2011. Hoje, possui 520 unidades em operação e espera chegar ao fim deste ano com mais 150 franquias. Uma unidade home office tem faturamento médio mensal de 30 mil reais, com lucro líquido mensal de 3 a 7 mil reais.

Investimento inicial: 12 mil reais
Prazo de retorno: 3 a 12 meses

11 IEV: 12 mil reais

O Instituto de Especialização em Vendas foi fundado em 2014. O negócio de treinamentos comerciais para empresas começou a atuar no franchising em 2017. Hoje, possui 50 franquias em funcionamento e espera chegar a 200 unidades neste ano. O faturamento médio mensal de uma unidade é de 50 mil reais, com lucro médio mensal de 15%.

Investimento inicial: 12 mil reais
Prazo de retorno: 4 meses

12 Mr Fit: 12 mil reais

A Mr. Fit, rede de franquias de alimentação saudável, foi fundada em 2014 e começou a franquear no ano seguinte. Hoje, possui mais de 100 franquias em operação. Em uma microfranquia home office, chamada Freezer Mr. Fit, o faturamento médio mensal vai de 4 a 20 mil reais e a lucratividade média é de 30%.

Investimento inicial: 12 mil reais
Prazo de retorno: 6 a 24 meses

13 Quisto Corretora de Seguros: 12 mil reais

A Quisto Corretora de Seguros foi fundada em 2012 e entrou para o mercado de franquias em 2018. O negócio possui 30 unidades em operação. O faturamento médio mensal de uma corretora home office é de 50 mil reais, com lucro líquido mensal de 7 mil reais.

Investimento inicial: 12 mil reais
Prazo de retorno: 6 a 18 meses

14 MTCred: 15 mil reais

A MTCred, rede franqueadora de crédito consignado, foi criada em 2008 e começou a franquear em 2013. A MTCred possui mais de 70 unidades. No modelo home office, chamado de Smart MTCred, o faturamento médio mensal é de 140 mil reais, com lucratividade média de 10%.

Investimento inicial: 15 mil reais
Prazo de retorno: 4 a 8 meses

15 Protect Soluções: 16 mil reais

A Protect Soluções, rede de microfranquia especializada na saúde financeira das pequenas e médias empresas, foi fundada em 2015 e começou a franquear dois anos depois. Hoje, possui cinco unidades em operação. A expectativa é ter 15 unidades em operação até o final deste ano. Faturamento médio mensal de 8 mil reais e lucro médio mensal entre 60 e 70%.

Investimento inicial: 16 mil reais
Prazo de retorno: 12 a 18 meses

16 Nova Capital: 17 mil reais - 20 franquias para abrir

A Imobiliária Nova Capital foi criada em 2014 e entrou para o franchising em 2018. Hoje, possui sete unidades em operação. No modelo home office, chamado Nova Capital Home, o faturamento médio mensal é de 150 mil reais, com lucro médio mensal de 40 mil reais.

Investimento inicial: 17 mil reais (cidades com até 20 mil habitantes)
Prazo de retorno: 18 meses

17 Mr Kids: 18,7 mil reais - 20 franquias para abrir

A Mr. Kids, rede de vending machines, foi fundada em 2012 e começou a franquear neste ano. Possui hoje 500 máquinas próprias e outras 7.000 máquinas franqueadas. O faturamento bruto mensal vai de 1,8 mil a 30 mil reais, com lucro médio mensal de 35 a 40%.

Investimento inicial: 18,7 mil reais
Prazo de retorno: 12 a 18 meses

18 Lends Club: 25 mil reais - 20 franquias para abrir

A Lends Club, rede de franquias especializada em jogos de tabuleiro, foi fundada em 2013 e começou a franquear em 2017. Hoje, possui uma unidade própria e três franquias. O faturamento médio mensal de uma unidade home office é de 5 mil reais, com lucro médio mensal de 25%.

Investimento inicial: 25 mil reais
Prazo de retorno: 18 meses

19 Meu Dever de Casa: 25 mil reais - 20 franquias para abrir

A rede de franquias de apoio educacional Meu Dever de Casa oferece dois modelos home office: o Coach Educacional MDC (ensinar técnicas de estudo) e o Home Based MDC (reforço em casa). O negócio, fundado em 2014, passou a franquear em 2017. Possui 41 unidades em operação. No Home Based MDC, o faturamento médio mensal é de 9 mil reais, com lucratividade média mensal de 7 mil reais.

Investimento inicial: 25 mil reais
Prazo de retorno: 11 meses

20 San Martin Seguros: 29,9 mil reais - 20 franquias para abrir

A San Martin Seguros foi fundada em 1995 e entrou para o mercado de franquias em 2013. Atualmente, a marca possui 300 unidades franqueadas. O faturamento médio mensal fica acima de 100 mil reais, com lucro líquido mensal a partir de 13 mil reais.

Investimento inicial: 29,9 mil reais
Prazo de retorno: 6 a 12 meses

 

Deseja montar um negócio digital mas não sabe como fazer? Então você precisa de um coach de negócio digitais. Fale comigo e eu vou ajudar você a montar o seu negócio

Olá, Bem Vindo ao meu site.


Meu nome é Cleber Barbosa e sou especialista em marketing digital. Trabalho como consultor de marketing digital há 18 anos, e já ajudei inúmeras empresas e negócios a se estabelecerem na internet e aumentar seus lucros e faturamento.
Se você chegou até aqui, é porque você precisa de ajuda para captar clientes em potencial, e melhorar suas vendas através da internet, eu irei te ajudar!
Meu trabalho é focado em planejamento de marketing digital personalizado , plano de ação para execução e captação de clientes através da internet.
Minha consultoria de marketing digital vai ajudar você a ter resultados com a internet e estabelecer a sua presença digital para trazer resultados recorrentes.

Quando você precisa de algum serviço/produto para sua empresa ou até para consumo pessoal, de qual forma procura?
Agora pense nessa outra pergunta: Se as pessoas usam a internet para achar o que elas estão buscando, a minha empresa aparece para essas pessoas quando elas buscam soluções?

Existem vários erros que as empresas e profissionais cometem quando o assunto é marketing digital e um deles é: estrutura e planejamento.
Sem ter uma estrutura digital que conduza o visitante, seja do seu site ou a conexão das suas redes sociais, até um ecossistema de vendas adequado nada vai acontecer.
Não existe fórmula mágica ou solução milagrosa, o que existe é planejamento, plano de ação, mapeamento e resultados.

Você tem o mapeamento da sua empresa, do seu negócio ou do seu serviço na internet?

Você tem o mapeamento do seu público comprador na internet?

Sem uma análise baseada em dados e estatísticas não é possível estabelecer metas e saber como é possível alcançar resultados.
Como já dizia o poeta: senão sabemos qual caminho precisamos escolher, qualquer caminho serve.
Entre em contato comigo pois quero ajudar você com a minha consultoria de marketing digital a mudar a sua realidade na internet a partir de agora.

Entre em contato, agende uma reunião e vou mostrar como posso te ajudar!

Email

Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Linkedin

Facebook